A língua submersa – Manoel Herzog

  • Livro físico
  • Autor: Manoel Herzog
  • Alfaguara
  • 216 p.
  • 1° edição (2023)

50,00$

Em estoque

Até 12x sem cartão com o Mercado Crédito. Saiba mais
Compre com o Mercado Crédito sem cartão e pague por mês
1
Adicione seu produto ao carrinho de compras e, na hora de pagar, selecione o Mercado Crédito.
2
Inicie sessão no Mercado Pago.
3
Escolha o número de parcelas que melhor se adapte a você e pronto!

Crédito sujeito a aprovação.

Dúvidas? Confira nossa página de Ajuda.

Adicionar à lista de desejos
Category Tag

Após um cataclisma ambiental, só uma região na América Latina sobreviveu ao avanço das águas: Bolivana-Zumbi. Sua classe média remanescente se reestruturou à base do comando evangélico, do jugo chinês e da obrigação de restaurar a natureza, mas segue com suas rixas e discriminações. O resultado é um livro épico, sobre a força da destruição humana.

“Quem nos governa é o medo da morte.”

Este é um romance complexo e múltiplo, sem paralelos na literatura brasileira. Após uma catástrofe ambiental, a América Latina, ou o que sobrou dela, é agora a nação Bolivana-Zumbi, o “gigante dócil e inofensivo” onde a moeda se chama bênção e o poder dominante, fantoche dos desígnios chineses, é a Eclésia, gerida pela igreja evangélica Bola de Fogo. Aqui a natureza é a principal preocupação: é expressamente proibido desmatar e caçar animais silvestres, e os infratores pagam com a morte. Em Bolivana-Zumbi se fala o portunhol, pois o português se tornou a língua submersa ― e proibida.
Manoel Herzog nos leva, com contundência e um humor desconcertante, às entranhas dessa nova sociedade que habita as antigas regiões de Santos e Cubatão. Em pequenas sagas que se sobrepõem e se complementam, conhecemos um mundo novo e perturbador, onde a própria realidade é tecida de pesadelos.

Comentários

Ainda não há comentários.

Seja o primeiro a avaliar “A língua submersa – Manoel Herzog”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *